Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

França começou operações para cimeira do G7

Cartaz de contra cimeira do G7 prevista para Hendaia para coincidir com fórum de Biarritz.
Cartaz de contra cimeira do G7 prevista para Hendaia para coincidir com fórum de Biarritz. IROZ GAIZKA / AFP

É só este sábado que a cidade de Biarritz, no Sudoeste da França, acolhe a cimeira do G7, grupo das sete maiores potências do mundo. Mas desde já as autoridades detiveram alguns opositores ao fórum. Mais de 13 000 efectivos das forças da ordem estarão mobilizados.

Publicidade

Desde esta segunda-feira que a justiça começou a deter para interrogatório alguns opositores à cimeira do G7.

Cinco pessoas foram colocadas sob custódia policial, medida entretanto já levantada hoje para a maioria dentre elas, seriam sobretudo membros de movimentos extremistas conhecidos como "black blocs".

Em causa estavam apelos nas redes sociais a ataques visando um centro de alojamento de guardas republicanos mobilizados para a reunião agendada para a costa basca no próximo sábado.

As autoridades alegam pesar sobre o evento ameaças de "grupos violentos".

O ministro do interior, Christophe Castaner, deslocava-se hoje ao local para conferir o dispositivo de segurança ali implementado.

Biarritz estará sob um fortíssimo dispositivo de segurança para uma cimeira que deve mobilizar cerca de 5 000 pessoas, entre delegados, técnicos e jornalistas.

Estão em curso desde esta segunda-feira em Urrugne, a 20 kms da cidade de Biarritz, uma semana de protestos contra o G7 reunindo um vasto leque de interlocutores incluindo anti-capitalistas e defensores do planeta. A organização espera contar com até 10 000 pessoas.

No dia de abertura da cimeira, em Hendaia, a pouco mais de 30 kms de Biarritz, terá lugar uma grande manifestação contra a cimeira das grandes potências do mundo.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.