Acesso ao principal conteúdo
Política/Síria

Síria:atentado provoca mais de dez mortos

Patrulhas russas e turcas no nordeste da Síria, na fronteira com a cidade turca de Kiziltepe,na província de Mardin.01 de Novembro de 2019
Patrulhas russas e turcas no nordeste da Síria, na fronteira com a cidade turca de Kiziltepe,na província de Mardin.01 de Novembro de 2019 REUTERS/Kemal Aslan

Pelo menos treze pessoas morreram num atentado levado a cabo com um carro armadilhado neste sábado, na cidade fronteiriça de Tal Abyad, no nordeste da Síria. A região préviamente controlada por forças curdas sírias, é actualmente ocupada por militares da Turquia, contra os quais a população curda local tem protestado.

Publicidade

Tal Abyad, anteriormente sob o controlo de forças curdas sírias, foi ocupada no mês de Outubro por militares turcos, no decurso de uma ofensiva, motivada, segundo Ancara, pela presença de terroristas às portas da sua fronteira.

O atentado por meio de um carro armadilhado, ocorre após a trégua feita a semana passada, com o objectivo de parar a ofensiva militar, iniciada no dia 9 de Outubro pela Turquia, que agravou a situação humanitária no nordeste da Síria.

Segundo o Ministério da Defesa turco, que imputa a responsabilidade do ataque com explosivos aos combatentes curdos, 13 pessoas morreram vítimas do atentado.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, sediado no Reino Unido, anunciou um total de 14 mortos, entre os quais combatentes pró-Turquia e alguns civis.

Na vizinha cidade de Qamishli, com uma população predominantemente curda, manifestantes protestaram também contra a presença militar turca que eles qualificam de invasão.

A trégua assinada na semana anterior entre a Turquia e a Rússia, para pôr fim a ofensiva turca, implica a retirada das forças curdas sírias da fronteira sírio-turca.

A zona fronteiriça entre a Síria e a Turquia abrange uma faixa de 120 kms, na qual está incluída Tal Abyad, cidade em que teve lugar o atentado de sábado último, e deve ser patrulhada conjuntamente por militares turcos e russos, de acordo com o estabelecido pelos termos da trégua.

Segundo observadores, as autoridades turcas iniciaram a ofensiva militar no nordeste da Síria, não só para expulsar as forças curdas sírias que Ancara considera como terroristas, mas também com a intenção de instalar, na citada região, os cerca de 3,6 milhões de refugiados sírios actualmente no seu território.

A zona conflituosa era anteriormente controlada pelas forças curdas sírias, que apoiadas por militares americanos, combateram contra os jiadistas do Daech.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.