Acesso ao principal conteúdo
Política/Hong Kong

Novas manifestações e confrontos com forças policiais em Hong Kong

Marcha de agradecimento aos congressistas americanos pelo apoio dos Estados  Unidos ao movimento contestário  de  Hong Kong.  01 de Dezembro de 2019
Marcha de agradecimento aos congressistas americanos pelo apoio dos Estados Unidos ao movimento contestário de Hong Kong. 01 de Dezembro de 2019 REUTERS/Thomas Peter

Milhares de manifestantes,vestidos de preto, saíram novamente às ruas de Hong Kong, neste Domingo, para pressionar as autoridades locais. Esta nova onda de protestos ocorre uma semana depois dos candidatos ditos pró-democracia terem obtido uma vitória esmagadora nas eleições locais. As forças policiais lançaram gás lacrimogénio e gás pimenta para dispersar os contestários.

Publicidade

Seis meses depois do início da contestação, milhares de manifestantes voltaram a reunir-se nas ruas de Hong Kong para protestar contra as autoridades locais e a perspectiva de um maior controlo da região autónoma chinesa pelo governo central de Pequim.

Segundo as agências de notícias, a manifestação foi a mais importante, das últimas semanas e marcou o retorno dos confrontos entre os contestárias e as forças da ordem. De acordo com a polícia, os manifestantes lançaram bombas de fumaça contra as forças da ordem e estas reagiram com gás lacrimogénio e gás pimenta para dispersar os manifestantes.

A manifestação deste Domingo, ocorre uma semana depois da vitória esmagadora dos candidatos pró-democracia nas eleições distritais de Hong Kong, e é a primeira de três, convocadas para os próximos Domingos.

Segundo com alguns manifestantes, eles saíram novamente às ruas, porque a chefe do governo de Hong Kong, Carrie Lam, não fez nenhuma concessão, desde que tiveram lugar as eleições.

Antes da grande manifestação, foi também organizada uma marcha, por um pequeno número de pessoas, em direcção ao Consulado dos Estados Unidos, com o objectivo de agradecer a legislação dos congressistas americanos,em apoio ao movimento contestário de Hong Kong.

De acordo com a AFP, meses depois da contestação ter começado com um movimento de oposição à proposta de decreto de lei visando transferir indiciados de Hong Kong para os tribunais da China continental, os manifestantes continuam a beneficiar do apoio popular, como o confirma o resultado das últimas eleições locais .

 

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.