Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Renamo acusa regime de “apadrinhar” Junta Militar

Ossufo Momade em campanha eleitoral
Ossufo Momade em campanha eleitoral facebook.com/RENAMOUNIDA

Em Moçambique, o presidente da Renamo acusa o Governo de ter acarinhado e apadrinhado o aparecimento da Junta Militar, com o objectivo de desestabilizar o maior partido da oposição e, assim, ganhar as eleições no país.

Publicidade

 

Ossufo Momade, numa comunicação de final de ano, desafiou ainda as autoridades a criarem urgentemente uma comissão de inquérito independente, para averiguar a origem dos ataques contra alvos civis, que ocorrem no centro e norte do país, dos quais a Renamo se voltou a distanciar.

“O ministro do Interior e o ministro da Defesa Nacional têm associado publicamente os ataques à Renamo esquecendo-se que foi o regime da Frelimo que o surgimento dos atacantes armados naquelas províncias, com o objectivo de desestabilizar a Renamo durante a campanha eleitoral.”

Em conferência de imprensa, na sede do seu partido, na capital moçambicana, Ossufo Momade voltou a considerar fraudulentos os resultados das eleições gerais de 15 de Outubro e reiterou a ameaça de organizar manifestações em todo o país para repudiar os resultados validados e proclamados pelo Conselho Constitucional, que dão vitória à Frelimo e ao seu candidato presidencial. Filipe Nyusi será, a 15 de Janeiro, empossado para um segundo mandato de 5 anos.

Com a colaboração de Orféu Lisboa, correspondente em Maputo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.