Acesso ao principal conteúdo
Sudão

Omar el-Béchir reeleito presidente do Sudão

O presidente sudanês Omar el-Béchir.
O presidente sudanês Omar el-Béchir. Reuters/Mohamed Nureldin Abdallah

Apesar de ser alvo de um mandado de captura internacional, o presidente sudanês Omar el-Béchir foi reeleito, sem surpresa, com 68,24 % dos votos, segundo a comissão eleitoral. Vários partidos da oposição boicotaram o escrutínio e segundo os observadores, estas eleições não responderam às “normas internacionais”.

Publicidade

É a primeira vez que Omar el-Béchir se submete ao veredicto das urnas em 24 anos de poder após um escrutínio bastante controverso. A União Europeia e a Fundação americana Carter denunciaram numerosos casos de fraudes e de intimidações.
A sua vitória também já era dada como adquirida com a retirada dos seus dois principais adversários, Yasser Arman, um muçulmano laico que defende as cores dos ex-rebeldes do Movimento popular de libertação do Sudão ((SPLM) e Sadek al-Mahdi, chefe do partido Umma cujo governo eleito foi derrubado em 1989 após o golpe de Estado militar chefiado por el-Béchir.

“Foi uma vitória para todos os Sudaneses”, declarou o presidente sudanês ao mesmo tempo que se comprometeu a organizar, em janeiro, como previsto, um referendo crucial sobre a independência do Sul do Sudão, etapa-chave da aplicação do acordo de paz que pôs fim em 2005 a 21 anos de guerra civil.

Entretanto, e ainda na sequência destas eleições, o presidente da região semi-autónoma do Sul do Sudão, Salva Kiir, também conservou o seu cargo.

Salientemos que Omar el-Béchir desejava uma vitória sem equívoco nestas eleições, para melhor desafiar o Ocidente e o Tribunal Penal Internacional que emitiu, no ano passado, um mandado de captura contra ele, por crimes de guerra e crimes contra a humanidade no Darfur.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.