Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA

Tribunal angolano rejeita candidatura da facção FNLA de Ngola Kabangu

Tribunal angolano rejeita candidatura da facção FNLA de Ngola Kabangu
Tribunal angolano rejeita candidatura da facção FNLA de Ngola Kabangu Movimento para a Paz e Democracia em Angola

O Tribunal Constitucional angolano recusou-se hoje a receber as mais de 20 mil assinaturas para a candidatura da facção de Ngola Kabangu às eleições gerais de 31 de Agosto.

Publicidade

No último dia para a apresentação das candidaturas para as eleições gerais de 31 de Agosto em Angola, a Frente Nacional de Libertação de Angola -FNLA- protagoniza a primeira discórdia deste processo. O partido que contínuo dividido em duas alas, aparentemente irreconciliáveis, viu uma das candidaturas recusadas.

Correspondência de Avelino Miguel

Ngola Kabangu, que hoje tentou formalizar a candidatura junto do Tribunal Constitucional, com as suas cerca de 20 mil assinaturas foi impedido pela instância judicial de o fazer, facto que já motivou uma acção de protesto. Ngola Kabangu mostra-se inconformado com a situação e denuncia a mão de José Eduardo dos Santos nesta recusa.

Ngola Kabangu, Frente da Libertação de Angola

Lucas Ngonda, líder da ala da Frente de Libertação de Angola -FNLA- reconhecida pela justiça angolana, cuja candidatura foi reconhecida pela justiça angolana relativiza as críticas de Ngola Kabangu e ressalva que foi a justiça que o legitimou como líder da FNLA.

Lucas Ngonda, Frente Nacional da Libertação de Angola

 

Com a colaboração do nosso correspondente em Luanda, Avelino Miguel.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.