Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Médicos de Moçambique regressam ao trabalho satisfeitos

Proposta do governo é contestada pelo Conselho Federal de Medicina
Proposta do governo é contestada pelo Conselho Federal de Medicina Getty Images/Burke/Triolo Productions

Terminou hoje a greve dos médicos moçambicanos, depois de alcançado um acordo entre a Associação Médica de Moçambique e o Governo, através do Ministério da Saúde. Este acordo garante que a nova grelha salarial "terá um tratamento digno e diferenciado do sector". E o Governo declarou que não serão tomadas medidas administrativas em relação aos médicos que não se apresentaram no local de trabalho durante o período da greve.

Publicidade

O acordo hoje assinado entre a Associação Médica de Moçambique e o Ministério da Saúde fixou o mês de Abril como a data limite para o estabelecimento de um quadro remuneratório dos médicos. Quanto aos salários, as partes reconhecem a necessidade da criação e institucionalização de um Estatuto do Médico e a respetiva grelha salarial.
 

O documento assinado pelo ministro da Saúde de Moçambique, Alexandre Manguele, e pelo presidente da Associação Médica, Jorge Arroz, assinala que o decreto regular da lei do Estatuto do Médico será submetido na primeira sessão do Parlamento deste ano, para apreciação e aprovação num máximo de 90 dias.

O correspondente da RFI em Maputo, Orfeu Lisboa, ouviu ambas as partes, e dá mais pormenores sobre este acordo.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.