Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Lançada primeira pedra para construção de centro de hemodiálise na Guiné-Bissau

O sangue é retirado do paciente por um acesso venoso e impulsionado por uma bomba até o filtro, sendo então devolvido ao paciente
O sangue é retirado do paciente por um acesso venoso e impulsionado por uma bomba até o filtro, sendo então devolvido ao paciente

O Governo de transição da Guiné-Bissau lançou hoje a primeira pedra para a construção de um centro de hemodiálise no país, uma obra que terá um custo de cerca de um milhão de euros. Quase metade deste valor já foi disponibilizado pelo Japão, falta o resto para que o centro de hemodiálise esteja pronto até ao final do ano.

Publicidade

O centro de hemodiálise vai ser construído de raiz no Hospital Simão Mendes. Para Lassana N'Tchassó, director deste Hospital, é um sonho que se vai tornar realidade, salientando a importância de um centro de hemodiálise para a população da Guiné-Bissau.

Lassana N'Tchassó, entrevistado por André Ferreira

Agostinho Cá, ministro da Saúde Pública do governo de transição, mostra-se confiante na angariação dos fundos que faltam para que este projecto de construção de um centro de hemodiálise seja efectivamente uma realidade até ao final do ano.

Agostinho Cá, entrevistado por André Ferreira

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.