Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Povos de Moçambique, Brasil e Japão face ao Prosavana

União Nacional dos Camponeses de Moçambique
União Nacional dos Camponeses de Moçambique UNAC

Mais de  60 movimentos sociais, ambientais, associações camponesas e  organizações da sociedade civil de Moçambique,Brasil e Japão reflectem sobre o projecto Prosavana em Maputo. 

Publicidade

A Conferência Triangular dos Povos a decorrer em Maputo nos dias 7 e 8 de Agosto é  coorganizada  pela União Nacional de Campneses(UNAC) e a Organização Rural de Ajuda Mútua (ORAM)  em parceria  com os movimentos e organizações signatárias da Carta Aberta cujo objectivo é interagir com os governos de Moçambique, Brasil e Japão e todos os protaganistas implicados no processo de ocupação de terras moçambicanas no âmbito do Programa Prosavana. Reunidos em Maputo, os representantes de movimentos  sociais,ambientais, associações camponesas e organizações da sociedade civil, têm como meta reforçar a articulação internacional e as estratégias de luta e resistência contra o Programa Prosavana em curso no país  desde 2009. Segundo os participantes desta Primeira Conferência Triangular dos Povos,o Prosavana não deve  negligenciar a implementação e monitorias públicas em prol do desenvolvimento integrado das populações.

Em declarações à RFI, Luís Muxangue, coordenador da conferência de Maputo e representante da União Nacional de Campneses( UNAC) explica as razões que levam os movimentos sociais,ambientais,associações camponesas e organizações da sociedade civil de Moçambique, Brasil e Japão, a debater sobre a inadequação actual do Prosavana.

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.