Acesso ao principal conteúdo
São Tomé e Príncipe

Greve dos professores em São Tomé e Príncipe

São Tomé
São Tomé Miguel Martins/RFI

Cerca de 80 mil alunos dos jardins-escola, estabelecimentos de ensino primário e secundário santomense estão a ser afectados por uma greve dos professores e educadores de infância por tempo indeterminado.

Publicidade

Entre as reivindicações do Sindicato dos Professores e Educadores de São Tomé e Príncipe (Sinprestp) constam a aprovação do estatuto de carreira docente e aumento salarial ainda este ano. Em declarações à imprensa ontem, o governo referiu que não era possível conceder o aumento salarial de 25% reclamado pelos profissionais da educação, argumentando que esta medida não está prevista no orçamento de Estado de 2013.

Por seu turno, ao afirmar que as suas actuais reivindicações correspondem a um compromisso assumido já no ano passado pelo governo, o secretário-geral do Sindicato dos Professores e Educadores de São Tomé e Príncipe, Gastão Ferreira avança que a adesão à greve foi total. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.