Acesso ao principal conteúdo
Guiné Bissau África Lusófona

Guiné-Bissau: professores suspendem greve

Fernando Vaz, porta-voz do Governo da Guiné Bissau
Fernando Vaz, porta-voz do Governo da Guiné Bissau AFP FOTO/ SEYLLOU

Um acordo com o Governo de transição leva os professores guineenses a suspenderem uma greve  por  falta  de pagamentos de salários. Os alunos poderão não comparecer de imediato às aulas.   

Publicidade

O Sindicato Nacional dos Professores (Sinaprof) e  o Sindicato Democrático  dos professores(Sindeprof) da Guiné-Bissau decidiram nesta  terça-feira suspender a  greve de 90 dias, que efectuavam para  reclamar o pagamento de salários em atraso.O presidente do Sinaprof, Luís Nancassa informou que os docentes da sua organização e do Sindeprof(Sindicato Democrático dos Professores)  concluiram um acordo na segunda-feira, sob a mediação do ministro de  Estado e  da Presidência  do Conselho  de Ministros, Fernando Vaz . Segundo Luís Nancassa o acordo firmado prevê o pagamento de seis meses de salários a partir de quarta-feira, dia 6 de Novembro. Os dois sindicatos apelaram os professores a retomarem as suas funções desde esta terça-feira . Face à escassez de docentes, o Governo da Guiné-Bissau tem contratado  jovens recentemente formados que aguardam a sua titularização administrativa.

Mussá Baldé, em Bissau, acompanha o caso.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.