Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Governo moçambicano disposto a retomar diálogo com a Renamo sem mediador internacional

Armando Guebuza, Presidente da Repúbica de Moçambique e Afonso Dhlakama, líder da Renamo
Armando Guebuza, Presidente da Repúbica de Moçambique e Afonso Dhlakama, líder da Renamo comunidademocambicana.blogspot.com

As autoridades governamentais moçambicanas, mostram-se disponíveis para uma nova ronda de negociações com a Renamo, a partir de segunda feira, 9 de dezembro, mas sem a presença de mediadores internacionais.

Publicidade

A Renamo, maior partido da oposição, continua a reclamar a presença duma mediação internacional nas conversações interrompidas há um mês, que vem tendo com o governo moçambicano, mas do lado do executivo governamental, só pode haver abertura em relação a observadores nacionais.

 

Esta é a posição do chefe da delegação governamental nas negociações, José Pacheco, que diz estar o governo disponível para retomar o diálogo, com a Renamo, a partir de amanhã, segunda feira, mas na ausência de qualquer mediador internacional.

 

Para o porta voz  da Renamo, Fernando Mazanga, "tudo isto girou à volta das eleições autárquicas e nós começámos estas negociações, antes até do recenseamento. Ora, o governo ignorou tudo isto aqui assim, e por via disso,  foi fazendo manobras dilatórias, enquanto estávamos a dizer "irmãos" há problemas nesta lei eleitoral".   

 

Recorda-se, que a Renamo, boicotou as recentes eleições autárquicas do mês de novembro, alegando que a lei eleitoral favorecia o partido Frelimo, no poder, em Moçambique.

 

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.


NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.