Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Relatório preliminar relança especulação sobre queda do avião da LAM

Avião da companhia LAM, linhas aéreas moçambicanas
Avião da companhia LAM, linhas aéreas moçambicanas DR

O relatório preliminar sobre a queda do avião da LAM, que ocorreu na Namíbia a 29 de novembro provocando a morte de 33 pessoas, continua a dar que falar levantando críticas e especulações.

Publicidade

O relatório preliminar sobre a queda do voo TM-470 das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) na Namíbia, divulgado a 21 de dezembro, continua a fazer correr muita tinta.

Na altura, a entidade que o divulgou, o Instituto de Aviação Civil de Moçambique (IACM), descartou, por intermédio do seu Presidente do Conselho de Administração, o Comandante João de Abreu, a hipótese de falha mecánica tendo em conta as averiguações efectuadas. Em entrevista exclusiva à RFI, João de Abreu reitera, todavia, que o relatório preliminar não permite tirar ilações quanto às verdadeiras causas.

Descartada a hipótese da falha mecánica, e tendo o Comandante João de Abreu defendido que o relatório preliminar aponta para uma "clara intenção" do comandante Hermínio dos Santos Fernandes em provocar o acidente, equaciona-se cada vez mais a hipótese de um suicídio.

Alves Gomes, vice-presidente do pelouro dos transportes da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, veio a público defender que ainda não está provado que o comandante se quis suicidar descrevendo-o como um homem sereno, muito capaz e de difícil descontrolo.

O mesmo Alves Gomes criticou o relatório preliminar divulgado considerando que este não respeita as normas da Organização de Aviação Civil Internacional (ICAO). O Comandante João de Abreu desvaloriza as críticas feitas ao relatório preliminar.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.