Acesso ao principal conteúdo
Economias

Filipe Vasconcelos Romão: "Cuba é um território e economia por abrir e explorar"

Áudio 16:10
Presidente francês, François Hollande, à sua chegada, esta segunda-feira, 11 de maio, ao aeroporto internacional José Marti, em Havana, dando início, à sua visita, a Cuba
Presidente francês, François Hollande, à sua chegada, esta segunda-feira, 11 de maio, ao aeroporto internacional José Marti, em Havana, dando início, à sua visita, a Cuba REUTERS/Enrique de la Osa

O nosso Convidado é Filipe Vasconcelos Romão, da Universidade Autónoma de Lisboa, Especialista da América Latina, com quem vamos analisar, a visita do Presidente francês, François Hollande, iniciada, hoje, a Cuba.  "Vejo [esta visita do Presidente francês a Cuba] como mais um sinal, inserido, numa lógica de aproximação, entre o Ocidente e Cuba. Os países da União europeia, já tinham, um relacionamento, bastante fluído, com o regime cubano, aliás, desde o final, dos anos 90, com a visita do Papa, João Paulo II, e do próprio Rei de Espanha, a Cuba (...)"(...) E agora, no contexto, em que os próprios, Estados Unidos, estão numa trajectória, de aproximação, a Havana, e Havana, em aproximação, a Washington, é desta forma, uma forma, de maior proximidade, e de um intensificar de relacionamento, que deve ser lido, este aumento das visitas, um aumento dos contactos, na intensidade , entre o Ocidente, entre a Europa e os Estados Unidos e Cuba."Palavras de Filipe Vasconcelos Romão, Professor de Relações Internacionais, na Universidade Autónoma de Lisboa e Professor convidado da Universidade ORT de Montevideo, no Uruguai, Especialista, da América Latina e Europa.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.