Acesso ao principal conteúdo
Angola

Jornalista angolano Rafael Marques absolvido ?

Capa do livro do jornalista e activista angolano, Rafael Marques, "Diamantes de sangue"
Capa do livro do jornalista e activista angolano, Rafael Marques, "Diamantes de sangue"

Não compareceram hoje no Tribunal de Luanda os sete generais, que acusam o activista e jornalista Rafael Marques de "denúncia caluniosa" pelos factos relatados no seu livro de 2011 "Diamantes de sangue : corrupção e tortura em Angola", foi no entanto alcançado um entendimento entre as partes e o réu assumiu o compromisso de que este livro não será reeditado.

Publicidade


"Assumi em tribunal (ao abrigo do entendimento entre as partes), que o livro não será reeditado...não é uma cedência grave, porque o livro já vai na oitava edição...e espero que não haja necessidade de se fazer um novo livro, porque haverá respostas imediatas às questões colocadas sobre violações dos Direitos Humanos naquela região". 

Mais de 55 mil pessoas fizeram o "down load" do livro "Diamantes de sangue : corrupção e tortura em Angola", disponibilizado gratuitamente "on line" desde Março passado pela sua editora Tinta da China. 

"Ficou lavrado em acta, o compromisso de continuar a monitorar a situação dos Direitos Humanos nas Lundas...com a cooperação dos generais e das empresas visadas".

"Nunca tive um contacto directo com os generais...e soube no Tribunal que estas empresas nunca os informaram das diligências que eu tinha feito...lamentei que isso não tivesse acontecido, porque teria tido uma outra abordagem em relação aos factos que imputei a essas entidades....isto só aconteceu porque não houve cooperação por parte das pessoas contactadas".

O processo contra Rafael Marques foi movido por um grupo de generais, liderados pelo general Hélder Vieira Dias "Kopelipa", ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República e deverá conhecer o seu desfecho na próxima quinta-feira (28/05) quando for lida a sentença, que como se trata de um crime público terá que ser : culpa ou absolvição, o jornalista afirma que "a decisão é do juíz...isso prova que não há acordo".

Mais de 11 mil pessoas assinaram a petição da ONG Amnistia Internacional em Portugal, apelando o Presidente Cavaco Silva e o primeiro ministro Passos Coelho a encorajarem o governo de Angola a retirar as acusações contra Rafael Marques.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.