Acesso ao principal conteúdo
Senegal/Chade

Julgamento de Hissène Habré adiado

Ex-presidente chadiano Hissène Habré no tribunal de Dakar, no Senegal.
Ex-presidente chadiano Hissène Habré no tribunal de Dakar, no Senegal. AFP FOTO / SEYLLOU

Em Dakar, capital senegalesa, o julgamento do antigo Presidente chadiano, Hissène Habré, por crimes de guerra, tortura, e crimes contra a humanidade, foi suspenso e adiado para o dia 7 de Setembro. O antigo Presidente chadiano recusa participar naquilo que ele considera ser uma "paródia de justiça, uma vergonha".

Publicidade

O Presidente do Conselho Africano Extraordinário Gberdao Gustave Kam, assistido por dois magistrados senegaleses, decidiu adiar o julgamento iniciado ontem no Palácio de Justiça de Dakar, contra o ex-Presidente chadiano Hissène Habré acusado de crimes contra humanidade, crimes de guerra e crimes de tortura.

Os responsáveis do Conselho Africano Extraordinário encarregue do julgamento de Hissène Habré, adiantaram que o julgamento vai retomar só no próximo dia 7 de Setembro, ou seja após 45 dias de intervalo.

Esta decisão foi tomada para permitir aos advogados de defesa a análise dos documentos. Advogados que foram escolhidos pelo Tribunal para defender Hissène Habré.

A parte civil e as vítimas lamentaram esta decisão do Presidente do Tribunal Especial criado pelo Senegal e a União Africana. As vítimas de Hissène Habré estão determinadas a que justiça seja feita, tendo em conta que o regime de Hissène Habré teria praticado vários assassínios.

Agora resta saber, depois de 45 dias de intervalo, como será o comportamento de Hissène Habré, que julga o Conselho Africano Extraordinário ilegal.

Mais pormenores com o nosso correspondente em Dakar, Cândido Camará.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.