Acesso ao principal conteúdo
Somália

50 soldados da Amisom perdem a vida

50 soldados da Amisom perdem a vida  num antentado perpetrado pelos islamitas shebab
50 soldados da Amisom perdem a vida num antentado perpetrado pelos islamitas shebab KENYA-SECURITY/SOMALIA REUTERS/Feisal Omar/Files

Pelo menos 50 soldados ugandeses da missão da União Africana- Amissom-no perderam a vida e outros 100 desapareceram após ataque perpetrado pelas milícias shebab num campo militar no sul do país com o carro armadilhado. 

Publicidade

O comunicado informa que "há ainda cem soldados desaparecidos o que não significa que estejam mortos", deixando antever que alguns podem estar escondidos nas imediações do campo, que passou na terça à noite para o controlo da Força Africana-Amisom.

Este balanço vai de encontro aos dos shebab que reivindicaram o ataque, afirmando ter morto cerca de cinquenta soldados da Amisom. Na terça-feira à noite a Amisom indicou as baixas entre os soldados ugandeses, sem fornecer um balanço imediato "ainda a avaliar o número de mortos e a extensão dos estragos".

Os 'shebab', filiados na rede terrorista Al-Qaida, reivindicaram o ataque e afirmaram ter infligido pesadas baixas à Amisom neste novo ataque, o segundo em dois meses contra uma das suas bases do sul da Somália.

A Amisom, actualmente com 22.000 homens, e as forças pró-governamentais somalis expulsaram os 'shebab' de Mogadíscio em 2011 e, em seguida, do conjunto das localidades importantes que controlavam no centro e sul da Somália.

No entanto, os islamitas ainda controlam importantes zonas rurais no sul do país, uma região privada de um verdadeiro Estado central desde o início da década de 1990. A força da União Africana admitiu baixas entre os soldados ugandeses, sem fornecer um balanço imediato.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.