Acesso ao principal conteúdo
África

Sida principal causa de morte entre adolescentes em África

Dia mundial de luta contra a Sida, 1 de Dezembro
Dia mundial de luta contra a Sida, 1 de Dezembro DR

Comemora-se hoje o Dia Mundial de Luta Contra a Sida. Em Harare, no Zimbabwe, decorre a Conferência Africana sobre o Controle do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e outras infecções sexualmente transmissíveis para alertar as populações para a necessidade de prevenção e de precaução contra o vírus da SIDA.

Publicidade

O HIV continua a ser uma ameaça global, a epidemia continua a ser um enorme desafio na África, especialmente para a África Subsaariana. Nos últimos 15 anos o número de adolescentes que morreu de SIDA triplicou, de acordo com um relatório do Fundo da ONU para a Infância (UNICEF), apresentado na semana passada na África do Sul.

Um relatório divulgado pelo programa da Organização das Nações Unidas (ONU) de combate à SIDA (ONUSIDA)Moçambique pertence aos dez país da África Oriental onde ocorrem novas infecções deste vírus enquanto Angola pretende acabar com a epidemia até 2030.

Em Moçambique, segundo a organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras (MSF) o abandono de tratamentos e a dificuldade de acompanhar os doentes são os principais desafios do combate à Sida no país que regista actualmente 1,6 milhões de pessoas infectadas pelo vírus.

Em Cabo Verde, o número de mulheres seropositivas que engravidaram triplicou nos últimos cinco ano, no entanto cerca de 97% dos seus filhos nasceram sem vírus da Sida, divulgou o secretário executivo do Comité de Coordenação de Combate à Sida no arquipélago.

Em São Tomé e Príncipe, as autoridades dão conta de alguns progressos em relação aos anos anteriores, com uma taxa de prevalência de 0,5% em São Tomé, a Região Autónoma do Príncipe continuando com índice ligeiramente mais alto, ou seja de 1,2%. Mais pormenores com Maximino Carlos.

Até hoje estima-se que 65 milhões de pessoas foram infectadas pelo HIV/SIDA e cerca de 30 milhões de vitimas mortais desde que a doença foi identificada pela primeira vez, em 1981.

No continente africano 36,9 milhões de pessoas viviam com o vírus da Sida no ano passado, em 2014, segundo o último relatório da ONUSIDA.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.