Acesso ao principal conteúdo
Quénia

Simulação de ataque terrorista acabou em drama

Estudantes recuperam os bens pessoais que tinham abandonado no pânico gerido pelo ataque fictício.
Estudantes recuperam os bens pessoais que tinham abandonado no pânico gerido pelo ataque fictício. REUTERS/Thomas Mukoya

Em Nairobi, a simulação de um ataque terrorista teve consequências dramáticas ontem. Um teste de segurança, levado a cabo numa Universidade, provocou um movimento de pânico. Uma pessoa morreu e outras 40 ficaram feridas, duas delas muito gravemente.

Publicidade

Uma empregada da Universidade morreu e vários estudantes ficaram feridos num violento movilmento de pânico provocado por um exercício de segurança. Em poucos segundos, quando os estudantes e os empregados da Universidade ouviram tiros e viram homens vestidos de preto, foi o caos. Imagens difundidas nas redes sociais mostraram estudantes escondidos nas beiras das janelas nos terceiros e quartos andares do prédio.

As vítimas sofreram lesões por se ter atirado pelas janelas, explicaram os serviços hospitalares. A maior parte dos testemunhos admitiram que não foram avisados pela organização. «É muito grave não nos terem dito nada. Quando ouvi os tiros, corri porque havia homens vestidos de preto como os shebabs, como aqueles que vimos em Westgate », contou Joseph, um estudante, que prestou declarações a uma rádio local.

Garissa e Westgate

Essa simulação, organizada com a polícia, visava «testar a preparação da comunidade universitária e das equipas de socorro em caso de ataque. No entanto, alguns estudantes e empregados da Universidade entraram em pânico e ficaram feridos», explicou um comunicado publicado pela direcção da Universidade. A direcção acrescentou que este exercício visava verificar o bom conhecimento das saídas de socorro e dos lugares onde as pessoas podem juntar-se.

Este drama ocorre num contexto em que as violências terroristas estão em crescimento. Em Abril, um grupo de islamitas somalis shebabs atacou a Universidade de Garissa, no Leste do Quénia, e que originou a morte de 148 pessoas, das quais 142 estudantes.

Lembramos também que 67 pessoas faleceram num ataque de shebabs no centro comercial Westgate em Nairobi em Setembro de 2013.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.