Acesso ao principal conteúdo
Libéria

OMS declara África do oeste livre de ébola

OMS, anuncia fim da epidemia de ébola na África do oeste, Libéria, Guiné Conacri ou Serra Leoa.
OMS, anuncia fim da epidemia de ébola na África do oeste, Libéria, Guiné Conacri ou Serra Leoa. KENZO TRIBOUILLARD / AFP

A OMS, declarou esta quinta-feira, a África do oeste livre da epidemia de ébola, após, confirmação do último teste negativo de um doente, na Libéria, e o consequente período de 42 dias sem casos de incubação do vírus, identificado, há 40 anos.

Publicidade

Fim da epidemia de ébola na África ocidental, foi assim que a OMS, Organização Mundial da Saúde, anunciou esta quinta-feira, 14 de janeiro, esta boa notícia, depois de um último teste negativo de um doente na Libéria.

Uma boa notícia sobretudo para os povos dos países mais atingidos da região oeste-africana, como a Libéria,  a Guiné Conacri e a Serra Leoa.

Em relação à Libéria, a OMS, sublinhou que era o fim da transmissão desta doença de ébola.

Iniciada em dezembro de 2013, na Guiné Conacri, esta doença, propagou-se para países vizinhos, como a Libéria e a Serra Leoa, com estes tres países a concentrar-se 99 por cento dos casos, assim como a Nigéria e o Mali.

Em dois anos o vírus de ébola,  identificada ha 40 anos, chegou a atingir igualmente países ocidentais, como a Espanha e os Estados Unidos, afectou 28 mil e 637 pessoas e fez 11 mil e 315 mortos.

Desde novembro do ano findo, que a OMS, vem fazendo anúncios parciais de que após um período de 42 dias sem casos de incubação, o país pode ser declarado livre da epidemia.

Foi  o que aconteceu primeiro na Serra Leoa, depois na Guiné Conacri e esta quinta-feira, na Libéria.

A OMS alerta, no entanto, para o facto de as autoridades desses países seguirem de perto a situação.

Enfim, do seu lado, o secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, declarou, por exemplo, que há a possibilidade de o vírus reaparecer nos próximos anos, pelo que todos os países, devem acompanhar a evolução desta epidemia de ébola, que ceifou tantas vidas.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.