Acesso ao principal conteúdo
França / Costa do Marfim

A Costa do Marfim continuará no TPI, afirma Alassane Ouattara

O Presidente Alassane Ouattara fala à imprensa depois de encontro com François Hollande, no Eliseu, a 22 de Novembro de 2016.
O Presidente Alassane Ouattara fala à imprensa depois de encontro com François Hollande, no Eliseu, a 22 de Novembro de 2016. DR

O Presidente francês, François Hollande, recebeu esta manhã, no Palácio do Eliseu, o Presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara. Os dois homens evocaram temas bi-laterais, a situação na região da África Ocidental, a luta contra o terrorismo, a situação do Continente africano e as relações internacionais, entre outros temas. Mas foi  o TPI que acabou por dominar o encontro. 

Publicidade

Depois de se ter avistado com o Presidente francês, o Presidente Alassane Ouattara declarou à imprensa esperar que não haja outros países a abandonar o Tribunal Penal Internacional.

Interrogado pelos jornalistas presentes sobre a possibilidade de um “efeito dominó”, depois de vários Estados africanos terem deixado o TPI, o Presidente marfinense respondeu : "Não, não creio que isso aconteça, e espero que não aconteça .São decisões soberanas, mas a Costa do Marfim não deixará o TPI, e penso que a maior parte dos países tem o mesmo desejo".

 

Recorde-se que a Gâmbia declarou oficialmente, este mês, retirar-se do TPI, depois da África do Sul, e do Burundi, no mês passado. O Quénia, a Nabíbia e o Uganda, bastante críticos quanto a esta instância internacional, poderão vir a tomar a mesma decisão.

O Tribunal Penal Internacional foi fundado em 2002, e tem competência nas áreas de crimes de guerra, crimes contra a Humanidade, e crimes de genocídio cometidos nos Estados –membros, ou por cidadãos desses Estados, em qualquer parte do Mundo.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.