Acesso ao principal conteúdo
SIDA

África do Sul testa vacina contra a SIDA

Manifestação em Durban em prol da prevenção contra a SIDA.
Manifestação em Durban em prol da prevenção contra a SIDA. RAJESH JANTILAL / AFP

O primeiro estudo sobre a eficácia da vacina contra o HIV, começou a ser testado nesta quarta-feira na África do Sul, na véspera do Dia Mundial de Luta Contra a Sida.

Publicidade

O estudo, denominado HVTN 702, determinará se um regime experimental de vacina previne com segurança a infecção pelo HIV entre adultos sul-africanos e o mote da campanha é "prego final no caixão da SIDA".

Os primeiros testes de uma vacina contra SIDA tiveram lugar na Tailândia em 2009 com uma reduçao de 31% dos riscos de contaminaçao, o novo teste de vacina hoje lançado na Africa do Sul é baseado nesta mesma vacina, que foi no entanto "adaptada às estirpes mais presentes na África subsariana", como explica o médico infecciologista moçambicano Gilberto Lucas.

Na África do Sul estão inscritos mais de 5.000 homens e mulheres sexualmente activos com idades compreendidas entre 18 e 35 anos, tornando-se o maior e mais avançado ensaio clínico de vacinas contra o HIV a ser realizado no país, onde mais de 1.000 pessoas são diariamente infectadas pelo HIV e mais de 7 milhões vivem com SIDA, ou seja uma das maiores taxas de prevalência a nível mundial, rondando os 19,2% segundo a ONUSIDA .

Os dois primeiros participantes no ensaio HVTN702 foram vacinados esta quarta-feira em Verulam, norte de Durban.

A nova vacina será testada em 15 localidades em toda a África do Sul.

Voluntários serão aleatoriamente designados para receber o teste da vacina ou um placebo.

Todos os participantes receberão um total de cinco injeções ao longo de um ano, e os resultados são esperados para o final de 2020.

 Com a colaboração de Mariamo Hassamo, correspondente em Pretória.

 

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.