Acesso ao principal conteúdo
GÂMBIA

Gâmbia: CEDEAO prepara pós Jammeh

Festejos dos gambianos nas ruas de Banjul a 19 de Janeiro de 2017
Festejos dos gambianos nas ruas de Banjul a 19 de Janeiro de 2017 REUTERS/Afolabi Sotunde

Na Gâmbia a CEDEAO levou hoje a cabo uma derradeira mediação visando convencer o presidente cessante a abandonar o poder, no dia seguinte à tomada de posse na embaixada gambiana no Senegal do novo chefe de Estado.

Publicidade

Os presidentes da Guiné Conacri e da Mauritânia chegaram ao início da tarde à Gâmbia para uma derradeira tentativa visando convencer o presidente cessante a deixar o país.

A chegada dos dois estadistas ocorreu na hora em que era suposto expirar um ultimato da comunidade regional antes de se avançar com meios militares.

A CEDEAO decidira, na noite passada, suspender as operações militares no terreno para tentar nova mediação.

São vários os países citados como locais de exílio possíveis para Yahya Jammeh: Marrocos, Mauritânia, Guiné Conacri, Qatar e até mesmo a Guiné-Bissau.

A Comunidade económica dos Estados da África ocidental mobilizara para o terreno meios militares a seguir à tomada de posse na tarde de ontem em Dacar de Adama Barrow na embaixada gambiana como presidente.

Acto acolhido com festejos e buzinadelas até em Banjul, implicando inclusive o chefe de Estado maior das forças armadas o general Ousman Badije, considerado até ao momento como um pilar do regime cessante.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.