Acesso ao principal conteúdo
Marrocos

Marrocos admitido na família Africana

Marrocos admitido na União Africana
Marrocos admitido na União Africana © Benutzer:Xavax/CC/Wikipédia

Marrocos foi readmitido esta segunda-feira na União Africana tornando-se assim no quinquagésimo quinto país da organização panafricana. Apesar das reservas de alguns Estados sobre o pedido de adesão de Marrocos, trinta e nove países pronunciaram-se a favor da admissão do país. O Comissariado de Paz e Segurança volta a ficar nas mãos da Argélia. 

Publicidade

É oficial Marrocos foi hoje admitido como quinquagésimo quinto Estado da União Africana. O país que em 1984 que tinha abandonado a organização, como forma de protesto pela facto da União Africana ter reconhecido a República Árabe Sarauí Democrática como Estado membro, volta à família africana trinta e três anos depois.

Apesar das reservas de alguns Estados sobre o pedido de adesão de Marrocos, trinta e nove países pronunciaram-se a favor da admissão do país.

A notícia foi bem recebida pela delegação da República Árabe Sarauí que declarou que esta admissão "abre uma nova via às negociações entre as duas partes".

Chade na presidência da Comissão da UA

Este dia fica igualmente marcado pela eleição do chadiano Mussa Faki para a presidência da Comissão Africana, o Gana vai ocupar a vice- presidência da organização panafricana que será presidida no próximo ano pelo chefe de Estado da Guiné Conacri, Alpha Condé.

Argélia conserva CPS

O comissariado de Paz e Segurança, criado em 2002, volta a ficar nas mãos da Argélia. O diplomata Smaïl Chergui venceu a candidata da Nigéria, Fatima Kyari Mohammed, e foi reeleito com 36 votos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.