Acesso ao principal conteúdo
Sudão do Sul

Sudão do Sul declara estado de fome

Sudão do Sul declara estado de fome
Sudão do Sul declara estado de fome ©ONU/Martine Perret

O governo do Sudão do Sul declarou esta segunda-feira que cerca de 5 milhões de pessoas carecem de ajuda alimentar em algumas regiões do centro e norte. Segundo as Nações Unidas a guerra civil e o colapso económico que se vive, há mais de três anos,  são responsáveis pelo estado de fome no país.

Publicidade

Pelo menos 5 milhões de pessoas carecem de ajuda alimentar no Sudão do Sul. O alerta foi dado pelo governo que declarou estado de fome em algumas regiões do centro e norte da mais jovem nação africana.

A situação de carência alimentar não é novidade no país. Nos últimos anos vários relatórios indicavam que dezenas de milhares de sul-sudaneses estavam expostas à insegurança alimentar, contudo estes números não eram suficientes para considerar a região em estado de fome.

Esta segunda-feira três organizações da ONU, UNICEF, FAO e PAM indicaram que 100 mil pessoas da região da Unidade correm o risco de vida, se não lhes for prestada ajuda alimentar, e pedem medidas urgentes para aquela que é já considerada a "pior catástrofe" da história recente do país.

De acordo com as Nações Unidas, a guerra civil associada ao colapso económico contribuíram para um aumento da taxa de inflação, até aos 800%, e prejudicaram a produção agrícola e os meios de subsistência nos meios rurais. Nas zonas urbanas a população vê-se a braços com o aumento do preço dos alimentos básicos.

Independente desde 2011, o Sudão do Sul está mergulhado desde Dezembro de 2013 numa guerra civil que já fez dezenas de milhares de mortos e mais de 3 milhões de deslocados, apesar da presença de 12 mil capacetes azuis no país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.