Acesso ao principal conteúdo
Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: nova greve do audiovisual público

Estúdio da Televisão da Guiné-Bissau
Estúdio da Televisão da Guiné-Bissau TGB

 Na Guiné-Bissau começou hoje uma nova greve de cinco dias dos funcionários do audiovisual público, que está totalmente paralisado desde as 00h01' desta quinta-feira.

Publicidade

O audiovisual público cuja última paralisação ocorreu entre 18,19 e 20 de Outubro está de novo em greve desde as zero horas desta quinta-feira (26/10) e durante cinco dias, com as mesmas reivindicações do movimento anterior referentes a meios logísticos, acrescidas de quatro novos pontos.

Francisco Indeque, coordenador do espaço de concertação dos funcionários grevistas, enumera as reivindicações dos grevistas: um autocarro para transporte de pessoal para a Televisão da Guiné-Bissau e outro para a Rádiodifusão Nacional, computadores e linha internet para a Agência de Notícias da Guiné e o jornal Nô Pintcha.

Quanto aos novos pontos são eles : a efectivaçao do pessoal com mais de dois anos de serviço, a publicaçao no Boletim Oficial das respectivas nomeações e efectivações, o aumento de subsídios de comodidade para os funcionários da TVGB e o reajuste de salários dos que recebem abaixo das suas categorias.

Está agendado para hoje (26/10) um encontro com o governo, mas Francisco Indeque desconhece com que ministro, tendo até agora apenas visto os directores gerais da Rádio e Televisão, que pediram a suspensão da greve, garantindo que a "questão das viaturas, linha internet e computadores será concretizada dentro de tempo" mas os trabalhadores exigem o cumprimento da totalidade do caderno reivindicativo.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.