Acesso ao principal conteúdo
Mali

Ghislaine Dupont e Claude Verlon, assassínios continuam por esclarecer

Claude Verlon e Ghislaine Dupont  em Kidal, Mali. Julho de 2013
Claude Verlon e Ghislaine Dupont em Kidal, Mali. Julho de 2013 RFI

A 2 de Novembro de 2013, Ghislaine Dupont, jornalista, e Claude Verlon, técnico de som, em missão no Mali para a RFI, foram raptados e assassinados pelos sequestradores, a poucos quilómetros de Kidal, no Mali.

Publicidade

No seguimento destas duas mortes um inquérito foi aberto no Mali e em França. Todavia, ainda restam zonas sombrias e inúmeras interrogações à volta dos assassínios dos nossos colegas da RFI.

Quatro anos após a morte de Ghislaine e de Claude, os inquéritos francês e maliano não avançam, denunciou hoje Apolline Verlon, filha de Claude Verlon. Que acrescenta não compreender como é que até hoje nenhum magistrado se deslocou ao local do crime, em Kidal, no norte do Mali.

Caty Richard, advogada de Apolline Verlon, sublinha que “hoje continuamos à procura do nome de todas a pessoas que podem estar implicadas no rapto e assassínio de Ghislaine e Claude; de saber se existiram falhas no quadro da segurança de ambos; de saber o que se passou imediatamente depois do seu sequestro, do encerramento dos checkpoints nomeadamente pela Minusma. Em que ponto estão as investigações. Temos sempre os mesmos problemas com o Mali, ou seja, o Estado maliano concorda cooperar connosco, mas vê-se confrontado com as mesmas dificuldades que nós. Isto é, no norte do Mali continua a ser impossível investigar, de se deslocar. Não há garantias de segurança.”

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.