Acesso ao principal conteúdo
Senegal

Forum Paz e Segurança em Dacar quer lutar contra terrorismo

Presidente senegalês, Macky Sall, sobre plano para combater jiadistas em África
Presidente senegalês, Macky Sall, sobre plano para combater jiadistas em África SIA KAMBOU / AFP

Decorreu durante dois dias, 13 e 14 de novembro, em Dacar, a 4.ª edição do Forum Paz e Segurança, com a participação de cerca de 800 personalidades do mundo da política, da sociedade civil e especialistas. No centro dos debates, a luta contra os jiadistas que fogem do Iraque e da Síria, para a África, pelo que deve haver um plano conjunto entre ocidentais e africanos.

Publicidade

Dacar, capital do Senegal, recebeu, 13 e 14 de novembro, a 4.ª do Forum Paz e Segurança, para debater questões de segurança em África ou o problema do terrorismo.

Participaram no Forum 800 personalidades entre chefes de estado, ministros, especialistas e representantes da sociedade civil de 45 países, nomeadamente, a França.

Logo na abertura do Forum, vários presidentes e dirigentes africanos, apelaram à ajuda internacional aos seus países para garantirem a sua própria segurança.

O ministro dos Negócios estrangeiros, Jean-Yves Le Drian, reagiu pedindo uma mellhor responsabilidade dos países africanos nas operações militares e de segurança no continente africano, com o apoio da comunidade internacional.

Jean -Yves Le Drian, deu como exemplo, "laboratório de operações piloto" que é o G5 Sahel, formado por Mali, Níger, Mauritânia, Burkina Faso e Chade, que acaba de terminar a sua primeira operação nos confins do Mali, Burkina Faso e Níger, com apoio da força francesa de 4.000 homens, Barkhane, estacionado no Sahel.

Os debates giraram, pois, entre este tema, mas também, sobre uma nova dimensão do terrorismo em África, que é a chegada dos jiadistas à região do Sahel, fugindo aos combates na Síria e no Iraque.

Um dos pontos levantados pelo Presidente anfitrião, Macky Sall, que defendeu um plano conjunto de acção entre parceiros internacionais e africanos, para combater esses turistas.

Um assunto que Macky Sall, desenvolveu em entrevista exclusiva ao programa "Invité Afrique" da RFI.

"O medo, é que vamos derrotá-los no Iraque e na Síria,  vamos seguir, em primeiro lugar para a Líbia, e depois descer em direcção ao Sahel,  encontrá-los, porque a África, é a parte vulnerável.

"Eles vão à procura de territórios fáceis, como acontece no Sahel com todas as zonas de tráfico de toda a espécie; E depois seguem para a Somália.

"Logo, se não adoptarmos respostas apropriadas e fortes, evidentemente, tudo o que foi desfeito no Médio oriente, vai encontrar-se no espaço sahelo-saariano, que nos vai pôr problemas.

"Conclusão: tem de haver uma resposta global, soluções integradas porque se temos de novo um santuário, onde essas forças possam estruturar-se, é toda a segurança global que é ameaçada.

"Logo, os parceiros têm de acompanhar a África e a África deve por si fazer esforços suplementares;  e é este o obectivo deste Forum: reunir todos os parceiros, todos os actores para reflectirmos, sobre soluções que podemos partilhar".

Palavras do Chefe de Estado senegalês, Macky Sall, em entrevista a Guillaume Thibault, no Forum Paz e Segurança, em Dacar.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.