Acesso ao principal conteúdo
ZIMBABUÉ

Zimbabué: Mugabe recusa deixar o poder

Harare, capital zimbabueana, a 17 de Novembro de 2017.
Harare, capital zimbabueana, a 17 de Novembro de 2017. REUTERS/Philimon Bulawayo

No Zimbabué o presidente Robert Mugabe foi visto hoje na capital numa universidade, era a primeira vez que o chefe de Estado aparecia publicamente não obstante os militares manterem o controlo dos pontos nevrálgicos de Harare desde quarta-feira.

Publicidade

Mugabe participou numa cerimónia de entrega de diplomas, escassas horas após ter recusado demitir-se numa audência que mantivera com o chefe de Estado maior, general Constantino Chiwenga.

O seu próprio partido, o ZANU-PF, prepararia mesmo um processo de destituição do herói da independência da antiga Rodésia do Sul, caso este mantenha esta postura.

O chefe dos antigos combatentes da guerra de independência, Christopher Mutsvangwa, saudou hoje o papel dos militares e lançou um aviso a Mugabe e à sua esposa afirmando que "terminou a partida".

O G40, movimento que apoiaria a sucessão de Grace a Robert Mugabe, parece fragilizado face ao "Lacoste".

Uma referência ao "crocodilo", alcunha por que é conhecido Emmerson Mnangagwa, vice-presidente destituído por Mugabe no passado dia 6 e que voltou ontem ao Zimbabué a partir do seu exílio sul-africano.

Ian Khama, presidente do Botsuana, pediu o afastamento de Mugabe enquanto o chefe de Estado marfinense, Alassane Ouattara, apelou a que ele saísse dignamente.

selfpromo.newsletter.titleselfpromo.newsletter.text

selfpromo.app.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.