Acesso ao principal conteúdo
UA/UE

UA/UE empenhados contra a escravatura de migrantes

Emmanuel Macron, Presidente francês, e Alassane Ouattara, chefe de Estado da Costa do Marfim
Emmanuel Macron, Presidente francês, e Alassane Ouattara, chefe de Estado da Costa do Marfim ISSOUF SANOGO / AFP

Terminou hoje a 5ª cimeira UA/EU em Abidjan com um “forte compromisso” dos dirigentes dos dois continentes na luta contra o drama da imigração clandestina e das derivas dos mercados dos escravos na Líbia.

Publicidade

“Uma acção humanitária deve ser aplicada o mais rapidamente possível na Líbia”, “as redes de passadores devem ser desmanteladas” e“um inquérito internacional deve ser aberto”, declarou o chefe de Estado marfinense, Alassane Outattara, na sessão de encerramento da cimeira.

O homólogo guineense Alpha Condé, igualmente presidente em exercício da União Africana, pediu que a comissão de inquérito sobre a Líbia seja dirigida pela comissão dos direitos humanos da UA. Alpha Condé solicitou ainda que “forças especiais”sejam colocadores no terreno para impedir o “tráfico de seres humanos”.

O presidente da comissão da União Africana, Moussa Faki, defendeu também que os “3800 migrantes “ na Líbia devem ser repatriados com urgência.

As medidas foram anunciadas, ontem à noite, pelo Presidente francês, no final da reunião de urgência que analisou a situação dos migrantes clandestinos na Líbia. Emmanuel Macron pediu a evacuação de urgência dos africanos que queiram sair da Líbia, anunciou a constituição de uma “task force operacional” e o lançamento de uma campanha para dissuadir os jovens a abandonar o país.

"África tem de ser inovadora"

A ministra da Juventude e Desportos de Moçambique, Nyeleti Mondlane, fez um balanço positivo da cimeira, relembrando que África tem de olhar para a solução dos seus problemas de forma dinâmica e inovadora.

“Diálogo entre Europa – África ainda não se faz de igual para igual”

O chefe do executivo são-tomense representou o país na cimeira de Abidjan. Patrice Trovoada sublinhou a boa governação e a democracia do desenvolvimento e ressalvou que o diálogo entre Europa – África ainda não se faz de igual para igual.

"Repatriar os cidadãos guineenses na Líbia"

Umaro Sissoco Embaló, fez um balanço positivo da 5ª Cimeira UA/UE que terminou hoje em Abidjan. O primeiro-ministro da Guiné-Bissau acrescentou, ainda, que estão a ser tomadas as devidas diligências para repatriar os cidadãos guineenses na Líbia.

"Cooperação UE-UA sobre a Paz e a Segurança".

Portugal foi um dos grandes impulsionadores da parceria EU/África. A primeira cimeira entre os dois blocos realizou-se no Cairo, Egipto, em 2000 e foi promovida por Portugal durante a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

Na 5ª Cimeira União Africana – União Europeia, que encerrou hoje em Abidjan, António Costa, primeiro-ministro português, foi um dos oradores da terceira sessão temática, sobre o tema "Cooperação UE-UA sobre a Paz e a Segurança".

António Costa defendeu que é preciso "apostar naquilo que é fundamental: paz, democracia, liberdades e desenvolvimento económico” e acrescentou que “para preservar a paz, mais do que exércitos, é necessário atacar os problemas na raiz”.

Depois do escândalo internacional com a divulgação da reportagem da CNN sobre o mercado de escravos na Líbia, o tema da imigração impôs-se como tema central da cimeira que reuniu mais de 80 chefes de Estado e de governo assim como mais de 5 mil delegados na capital económica marfinense.

As entrevistas foram realizadas pela nossoa enviada especial a Abidjan, Cristiana Soares.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.