Acesso ao principal conteúdo
Zimbabué

"Mugabe, a nação virou a página"

Robert Mugabe, ex-Presidente do Zimbabué
Robert Mugabe, ex-Presidente do Zimbabué REUTERS/Philimon Bulawayo

O presidente do Zimbabué Emmerson Mnangagwa respondeu esta sexta-feira ao seu predecessor, Robert Mugabe, que afirmou ter sido obrigado a deixar o poder em Novembro sobre a ameaça de um golpe de Estado. Mnangagwa respondeu a Mugabe que "a nação virou a página".

Publicidade

Muito discreto após a queda, Mugabe saiu esta quinta-feira do silêncio. Durante uma entrevista a várias televisões estrangeiras afirmou ter sido vítima de um golpe militar e lamentou que o sucessor tenha traído a nação. Com a voz cansada Mugabe afirmou ser necessário apagar aquilo que considera ser uma "vergonha" denunciando ainda um governo "ilegal e "anticonstitucional".

 Robert Mugabe que permaneceu trinta sete anos no poder, foi forçado a demitir-se no final do ano passado, depois de ter sido abandonado pelo exército e pelo próprio partido.
 

Mugabe foi substituído por Emmerson Mnangagwa, antigo vice-presidente, que tinha sido afastado por sugestão de Grace Mugabe, a esposa que ambicionava suceder ao marido no cargo.
 Esta sexta-feira Emmerson Mnangagwa reconheceu que Robert Mugabe tem o direito a exprimir-se livremente como qualquer cidadão, acrescentando porém que o governo continua a a transferir-lhe mensalmente um salário para que ele possa manter a vida de luxo.

Mnangagwa declarou que a nação virou a página e que deve concentra-se neste momento na realização de eleições livre, honestas e credíveis. O escrutínio está marcado para este ano.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.