Acesso ao principal conteúdo
Economias

Sudão em pleno marasmo económico

Áudio 10:40
Nova manifestação anti-Bechir em Cartum, no 14 de Fevereiro de 2019.
Nova manifestação anti-Bechir em Cartum, no 14 de Fevereiro de 2019. AFP

Continua a contestação no Sudão, onde há um pouco mais de dois meses o regime de Omar el-Bechir anunciou que iria triplicar o preço do pão neste país já em pleno marasmo económico. Ainda ontem, foram detidos militantes da oposição. A repressão das manifestações de protesto quase quotidianas resultou em 31 mortos segundo as autoridades, a Human Rights Watch falando por sua vez em 51 mortos.

Publicidade

O Sudão que retirava boa parte dos seus rendimentos do petróleo, viu as suas reservas diminuírem drasticamente desde a independência do Sudão do Sul em 2011. Apesar de um acordo com o Sudão do Sul para o transporte do seu ouro negro através das suas infra-estruturas, o regime de Cartum é tributário da instabilidade reinante no vizinho do sul.

Tributário é também da incerteza gerada pela sua dívida externa avaliada em 60% do seu PIB, sem garantias de solvabilidade.

Por outro lado, o país só muito recentemente, em Outubro de 2017, deixou definitivamente de ser alvo das sanções americanas que nos últimos vinte anos foram um obstáculo ao seu crescimento.

Eis alguns dos elementos sobre os quais nos debruçamos juntamente com Manuel João Ramos, investigador do Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.