Acesso ao principal conteúdo
França

Adolescente no centro da nova aventura de Astérix

"A Filha de Vercingétorix" vai ser publicado a 24 de Outubro.
"A Filha de Vercingétorix" vai ser publicado a 24 de Outubro. © 2019 Les Éditions Albert René

Astérix comemora 60 anos e o novo livro, intitulado “A Filha de Vercingétorix”,  vai ser publicado a 24 de Outubro em vários países, incluindo em Portugal. A nova história vai contar com uma personagem feminina, adolescente, filha do lendário chefe de guerra Vercingétorix.

Publicidade

“A Filha de Vercingétorix” vai ser o 38° álbum da banda desenhada criada há 60 anos por René Goscinny e Albert Uderzo. O novo livro, com argumento de Jean-Yves Ferri e desenho de Didier Conrad vai ser lançado, a nível mundial, a 24 de Outubro, estando prevista uma tiragem de cinco milhões de exemplares em mais de 20 línguas.

Esta quarta-feira, em conferência de imprensa no Parque Astérix, nos arredores de Paris, foi revelado o título da nova aventura, mas a intriga continua envolta em mistério, como é habitual na editora francesa Albert-René.

A nova história vai contar com uma personagem feminina, adolescente, filha do lendário chefe de guerra Vercingétorix, o vencido da batalha de Alésia.

Do lado português, as revelações também escassearam, mas se houver interesse a nova aventura poderá também chegar a Angola e Moçambique, de acordo com Vítor Silva Mota, da editora ASA.

Eu sei tanto quanto o que aqui foi divulgado na conferência de imprensa. Todo o álbum, como é apanágio das éditions Albert René, é envolto num sigilo absoluto e nós, editores, sabemos a história muito, muito pouco antes dela ser lançada”, afirmou.

No centro da intriga vai estar um torque, uma pulseira usada pela filha de Vercingétorix, “uma adolescente em plena revolta”.

Aquilo que ficámos aqui a saber foi que este torque descoberto recentemente inspirou o Jean-Yves Ferri a desenvolver a história”, acrescentou Vítor Silva Mota.

Desde a sua criação, em 1959, foram vendidos 380 milhões de livros do Astérix em 80 países. A editora Albert-René falou na “banda desenhada de todos os recordes”.

Para o editor português, o que explica o sucesso de Astérix também em Portugal é “a genialidade dos autores” e “uma coisa que é muito pouco divulgada que é: nós, Portugal e a língua portuguesa, fomos o primeiro país onde o Astérix foi traduzido”.

Para este ano, em que se comemora o 60° aniversário de Astérix e Obélix, estão previstas várias actividades, nomeadamente o lançamento de uma coleção de selos dos correios franceses, uma edição limitada de uma moeda de dois euros com um personagem de ficção “pela primeira vez”, uma exposição na Biblioteca Nacional de França e um álbum de homenagem com 60 autores franceses e internacionais.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.