Acesso ao principal conteúdo
Burkina Faso

Reféns franceses libertados no Burkina Faso aterraram em Paris

Ex-refém francês libertado, Laurent Lassimouillas, recebido pelo Presidente do Burkina Faso, este sábado, 11 de maio de 11 maio de 2019.
Ex-refém francês libertado, Laurent Lassimouillas, recebido pelo Presidente do Burkina Faso, este sábado, 11 de maio de 11 maio de 2019. REUTERS/Anne Mimault

Os 2 ex-reféns franceses libertados ontem no norte do Burkina Faso já chegaram em Paris, recebidos pelo presidente Macron, que os vai homenagear na terça-feira. Esta manhã tinham sido recebidos pelo Presidente burkinabé, Kaboré, na companhia duma terceira ex-refém sul-coreana. O ex-refém, Laurent Lassimouillas, agradeceu as famílias dos soldados que os libertaram dos terroristas.  

Publicidade

Os 2 turistas ex-reféns franceses, Patrick Picque e Laurent Lassimouillas, libertados na madrugada de sexta-feira durante uma operaçao das forças especiais francesas no norte do Burkina Faso, chegaram ao fim desta tarde à base de Villacoublay em Paris, onde foram recebidos pelo Presidente Macron. 

Na operação de quinta-feira das forças especiais francesas no norte do Burkina Faso, contra jiadistas, morreram dois militares franceses. Os 2 turistas franceses tinham sido raptados no Parque beninês de Pendjari.

Esta manhã, dos 4 reféns libertados, 3, nomeadamente, os 2 turistas franceses  e uma sul-coreana, foram recebidos pelo Presidente do Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, no palácio presidencial burkinabé.

Um quarto ex-refém, uma americana, não esteve no Palácio presidencial e segundo o chefe da diplomacia burkinabé, Alpha Barry, ela ficou sob responsabilidade das autoridades americanas presentes.

Um dos ex-reféns, o francês, Laurent Lassimouillas, prestou uma pequena declaração no final do encontro com o chefe de Estado do Burkina Faso, para agradecer as famílias dos soldados que os libertaram.

"Antes de mais os nossos pensamentos vão para as famílias dos soldados que perderam a vida para nos libertarem desse inferno. Queremos apresentar de seguida as nossas condolências a todas essas famílias, porque pensamos que elas são ambivalentes em relação a tudo o que nos acontece.

"Pensamos igualmente No nosso motorista-guia beninense que perdeu a vida logo no começo do nosso rapto e foi também muito difícil; e queríamos agradecer também às autoridades francesas e aquelas do Burkina Faso por terem participado na nossa libertação para que pudéssemos ficar longe de todo esse inferno que vivemos.  

Palavras do francês, libertado, Lassimouillas, em nome dos ex-reféns, todos emagrecidos, na companhia do  Embaixador francês no Burkina Faso e de membros da delegação francesa idos de Paris, para os trazer de volta a França.

Aliás após as declarações do francês, no seguimento do encontro com o Presidente do Burkina Faso, todos os ex-reféns, partiram, imediatamente, para o aeroporto de Ouagadougou, rumo a Paris.  

Eles serão homenageados na terça-feira no no Museu dos Inválidos pelo chefe de Estado, Emmanuel Macron. 

Por seu lado, o presidente burkinabé, Roch Marc Christian Kaboré, exprimiu a sua solidariedade com o povo francês e sublinhou a "importância da cooperação militar entre os dois países". 

"O sucesso  desta operação vem provar que esta cooperação funciona bem, declarou, por seu lado, o chefe da diplomacia burkinabé, Alpha Barry.

As autoridades do Burkina Faso, precisaram ainda que 15 militares do país das forças especiais, participaram na operação que permitiu a libertação dos reféns, com a colaboração dos serviços de informações.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.