Acesso ao principal conteúdo
Sudão

Sudão: acordo para transição política de três anos

Manifestação junto ao quartel general do exército sudanês.
Manifestação junto ao quartel general do exército sudanês. REUTERS/Umit Bektas

No Sudão, manifestantes e exército chegaram a acordo sobre um período de transição política de três anos, tendo em vista a transferência do poder aos civis. Para esta noite está prevista a assinatura do acordo global entre as partes.

Publicidade

Trata-se de uma nova etapa na procura de um acordo entre o exército sudanês e os representantes dos manifestantes. Ontem, ao fim da noite, os militares anunciaram ter encontrado um acordo sobre um período de transição política de três anos tendo em vista a transferência de poder aos civis.

O anúncio do compromisso encontrado entre militares e representantes dos manifestantes foi feito pelo general Yasser Atta, membro do Conselho Militar. Uns queriam uma transição em dois anos, outros em quatro. Ficaram pelo meio-termo, a transição irá durar três anos.

Segundo Yasser Atta, os seis primeiros meses serão consagrados à conclusão dos acordos de paz com os movimentos rebeldes no leste e sul do país.

O general indicou que vários passos foram dados nas prerrogativas e composição da futura Assembleia Legislativa composta por 300 membros. Os representantes dos manifestantes, reunidos na Assembleia para a Liberdade e Mudança, ficarão com 2/3 dos assentos e os restantes lugares da Assembleia serão reservados às outras forças políticas.

Todavia, não foram avançados detalhes sobre a composição do Conselho Soberano que será o órgão de decisão durante o período de transição. O General Atta prometeu um acordo total nas próximas horas, que deverá, de resto, ser rubricado esta quarta-feira à noite.

Segundo as agências noticiosas presentes no país, um representante da Aliança para a Liberdade e Mudança confirmou as informações dos militares e anunciou a constituição de uma comissão de inquérito sobre a violência que, na segunda-feira à noite em Cartum, levou à morte de seis pessoas e de numerosos feridos.

O exército indicou igualmente que a composição do Conselho Soberano e de um executivo será decidido em 24h.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.