Acesso ao principal conteúdo
FESTIVAL DE CINEMA DE CANNES

Filme africano em competição em Cannes

Mame Binta Sane é Ada no « Atlântico », filme da franco-senegalesa  Mati Diop candidato à Palma de ouro do Festival de cinema de Cannes.
Mame Binta Sane é Ada no « Atlântico », filme da franco-senegalesa Mati Diop candidato à Palma de ouro do Festival de cinema de Cannes. © Les films du bal

Um único filme africano consta dos 21 que estão em competição no Festival de cinema de Cannes. "Atlântico" da franco-senegalesa Mati Diop opta pelo registo fantástico em torno do drama dos migrantes africanos que arriscam a vida para chegar à Europa. 

Publicidade

Um casal de namorados em Dacar e um amor avassalador contrariado, ele apostado num futuro melhor atreve-se a deixar o Senegal numa piroga.

Ela acaba por ser prometida a um homem rico.

O fantasma dele, Souleyman, acaba por vir ensombrar a sua dulcineia, Ada.

São os fantasmas dos desaparecidos no Atlântico, título do filme, que acabam por invadir a cidade.

Nesta sua primeira longa metragem Mati Diop, filha do músico Wasis Diop, acaba por prolongar a tradição cinematográfica do tio, Djibril Diop Mambéty, que em 1973 tinha conquistado em Cannes o Prémio da crítica com Touki Bouki.

Nascida em Paris em 1982, de origem senegalesa, Mati Diop já tinha realizado uma curta metragem, documental, "Atlânticos" em 2010 precisamente sobre o êxodo, este mesmo tema, o êxodo da juventude africana.

 

Miguel Martins, Cannes, RFI

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.