Acesso ao principal conteúdo
Maláui

Maláui: eleições gerais com suspense

Votantes das eleições gerais hoje, 21 de Maio de 2019, no Maláui.
Votantes das eleições gerais hoje, 21 de Maio de 2019, no Maláui. MBC

Cerca de 6,8 milhões de eleitores são hoje chamados às urnas no Maláui para eleger o seu novo Presidente e os seus deputados. O Presidente cessante Peter Mutharika, 78 anos, briga um segundo mandato de 5 anos face a 7 rivais. Entre eles destacam-se o seu Vice-presidente, Saulos Chilima, que no ano passado criou o seu próprio partido, assim o chefe do principal partido de oposição, Lazarus Chakwera.

Publicidade

Trata-se de uma eleição com desfecho imprevisível dominada pela temática da luta contra a corrupção, um imperativo sobretudo enunciado pelos candidatos de oposição. Durante a sua campanha, o Presidente cessante Peter Mutharika preferiu destacar as melhorias nas infra-estruturas, particularmente as estradas. "Colocamos o Maláui sobre o caminho do progresso" considerou Mutharika que, aquando da sua chegada ao poder tinha, tal como os seus adversários agora, colocado a luta contra a corrupção no topo da sua agenda.

Todavia, durante a sua presidência, o seu nome ficou ligado a um caso de alegados subornos no valor de 3,9 milhões de Dólares, algo que os seus adversários nestas eleições fizeram questão de recordar. O seu Vice-presidente, Saulos Chilima, membro do Partido Democrático Progressista no poder, deixou esta estrutura e criou a sua própria formação no ano passado. Aos 46 anos, ele procurou atrair sobretudo o eleitorado jovem num país onde a faixa dos menos de 35 anos representa mais de metade da população.

Por sua vez, o antigo pastor evangélico Lazarus Chakwera, 64 anos, chefe do partido do Congresso do Maláui do antigo ditador Hastings Banda, que também colocou a luta contra a corrupção nas suas prioridades, conta com alguns outros trunfos. Para além do apoio de peso da antiga presidente Joyce Banda, o chefe da oposição tem no seu passivo bons resultados aquando da anterior eleição, em 2014, tendo tido apenas 450 mil votos a menos que Mutharika naquela altura.

Mais pormenores aqui.

No Maláui, país com uns 18 milhões de habitantes, metade a população vive abaixo do limiar da pobreza e apenas 11% dos habitantes têm acesso à electricidade. Embora nos últimos cinco anos as infra-estruturas tenham conhecido melhorias e a taxa de inflação tenha baixado de 23 para 9%, o crescimento económico diminuiu de 5,7 para 4% segundo o Fundo Monetário Internacional.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.