Acesso ao principal conteúdo
Desporto

Destino nas mãos dos Djurtus e dos Palancas Negras

Áudio 13:16
Djalma, médio angolano.
Djalma, médio angolano. FADEL SENNA / AFP

Estamos a 24 horas dos jogos decisivos para definir o futuro das duas selecções lusófonas, a Guiné-Bissau e Angola, no Campeonato Africano das Nações que decorre no Egipto.A primeira Selecção a subir ao relvado vai ser a Guiné-Bissau, que defronta o Gana pelas 16 horas, hora TMG, no Estádio de Suez. Para alcançar o apuramento os Djurtus têm apenas uma solução: vencer. Com um ponto em dois encontros, alcançado com o empate sem golos frente ao Benim, os guineenses têm de vencer para arrecadar pelo menos 4 pontos na tabela classificativa. Com essa pontuação, a Guiné-Bissau pode, pelo menos, ser um dos melhores terceiros classificados.Ouça as entrevistas de Jonas Mendes, guarda-redes de 29 anos dos Dujrtus, de Mama Baldé, avançado de 23 anos da Guiné-Bissau, e de Moreto Cassamá, médio de 21 anos da Seleção Guineense.Quanto a Angola sobe ao relvado pelas 19 horas, hora TMG, no Estádio de Ismaília, para defrontar o Mali. A Selecção angolana até pode empatar e tentar ser um dos melhores terceiros com 3 pontos, no entanto um triunfo garante definitivamente o apuramento para os oitavos.Ouça as entrevistas de Fredy, médio angolano de 29 anos, de Evandro Brandão, avançado de 28 anos de Angola, de Stélvio Cruz, médio de 30 anos da Selecção Angolana, de Djalma, avançado de 32 anos, de Geraldo, avançado de 27 anos, de Eddie Afonso, defesa de 25 anos, de Landú, guarda-redes de 29 anos, e de Gelson Dala, avançado de 22 anos dos Palancas Negras.Angola e Guiné-Bissau têm o destino entre as mãos.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.