Acesso ao principal conteúdo
Futebol

CAN 2019: Oitavos sem lusófonos

CAN 2019.
CAN 2019. Reuters

O Campeonato Africano das Nações de futebol entra na recta final com os dois primeiros oitavos-de-final na prova que decorre no Egipto. Quanto aos lusófonos foram todos eliminados na fase de grupos.

Publicidade

Marrocos-Benim, cujo árbitro principal é o angolano Hélder Martins de Carvalho, e Senegal-Uganda, eis os dois primeiros encontros dos oitavos-de-final da competição que decorre em território egípcio.

Nesta fase de eliminação directa, tudo está em aberto e todos os pormenores são importantes.

O jogo entre os ugandeses e os senegaleses opõe uma selecção surpresa, o Uganda, e um favorito à conquista do título continental, o Senegal.

No entanto a preparação do Uganda não foi a melhor visto que os jogadores ficaram dois dias sem treino. O primeiro dia terá sido por opção própria, no entanto na terça-feira os jogadores fizeram greve por causa dos prémios que querem receber. O conflito foi resolvido apenas na quarta-feira, o que ocasionou um treino pelas 22h, hora local.

Os ugandeses não preparam da melhor forma o embate frente ao Senegal, mas também é de realçar que ninguém previa uma passagem aos oitavos do Uganda, o que significa que tudo ainda é possível.

Quanto à selecção anfitriã, o Egipto, apenas joga no sábado frente à Africa do Sul.

Lusofonia ficou sem selecções e sem treinadores

As duas selecções lusófonas, Angola e a Guiné-Bissau, ficaram fora da prova, terminaram respectivamente no 3° e no 4° lugar no grupo E e F.

Angola foi eliminada ao ser derrotada pelo Mali por 1-0 no Estádio de Ismaília. Em entrevista exclusiva à RFI, Mateus, capitão da selecção angolana, deixou bem claro que ser capitão não lhe impôs mais pressão porque ele é um jogador da seleção angolana e todos têm de sentir a mesma pressão em alcançar bons resultados.

Mateus, avançado angolano

Mateus, capitão da seleção angolana, também deixou uma mensagem ao povo angolano.

Mateus enviou mensagem aos angolanos

A Guiné-Bissau que participava pela segunda vez consecutiva foi eliminada após a derrota por 2-0 frente ao Gana no Estádio de Suez.

Em declarações à RFI, Pelé, médio dos Djurtus, admitiu que a equipa até jogou bem na primeira parte, mas o adversário acabou por ser mais forte.

Pelé, médio da Guiné-Bissau

A competição também acabou para o único treinador franco-português presente na prova: Corentin Martins, seleccionador da Mauritânia que empatou sem golos frente à Tunísia e terminou no último lugar no Grupo E com dois pontos, os mesmos pontos que Angola.

Corentin Martins, em entrevista à RFI, analisou o encontro frente aos tunisinos e admitiu que não está decepcionado, visto que a Mauritânia participou pela primeira vez no CAN.

Corentin Martins, seleccionador da Mauritânia

Recorde-se que o Campeonato Africano das Nações de futebol, que decorre em território egípcio, termina a 19 de Julho.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.