Acesso ao principal conteúdo
França/Mali

Investigação RFI questiona versão do exército francês

As forças especiais francesas estavam em Kidal, no Mali, no momento do sequestro e do assassínio dos repórteres da RFI Ghislaine Dupont e Claude Verlon, a 2 de Novembro de 2013.
As forças especiais francesas estavam em Kidal, no Mali, no momento do sequestro e do assassínio dos repórteres da RFI Ghislaine Dupont e Claude Verlon, a 2 de Novembro de 2013. RFI

As forças especiais francesas estavam em Kidal, no Mali, no momento do sequestro e do assassínio dos repórteres da RFI Ghislaine Dupont e Claude Verlon, a 2 de Novembro de 2013. O exército francês, que até aqui se remeteu ao silêncio, terá mesmo tentado encontrar os sequestradores. Os novos elementos resultam de uma investigação levada a cabo pela RFI e colocam em questão a versão oficial do exército francês.

Publicidade

A versão oficial indica que foi uma coluna militar da força Serval, composta por cerca de trinta homens e seis veículos blindados, que descobriu os corpos cravados de balas dos dois repórteres da RFI, Ghislaine Dupont e Claude Verlon, a 2 de Novembro de 2013, depois de terem sido sequestrados à saída de uma entrevista em Kidal, norte do Mali. O acto foi reivindicado pela al-Qaida do Maghreb islâmico (Aqmi).

A informação é posta agora em causa pela investigação da RFI que avança que as forças especiais francesas já tinham conhecimento do assassínio dos dois repórteres, antes da chegada dos blindados da força Serval.

O inquérito da RFI apurou que forças especiais foram as primeiras a ser alertadas do sequestro e foi a mesma força que, em seguida, deu o alerta ao contingente da ONU encarregue de encerrar os postos de controlo da cidade.

Ainda segundo um testemunho de um alto-responsável das Nações Unidas, recolhido pela RFI, as forças especiais terão mesmo mobilizado veículos ligeiros para tentar encontrar os sequestradores. Primeiro através de uma missão terreste, seguida de uma outra missão de resgate, desta vez feita por um helicóptero.

Terá havido um contacto visual entre o comando francês e os sequestradores, ou terão as forças especiais chegado depois do assassínio dos dois repórteres da RFI? Nenhuma precisão até ao momento. Todavia, a investigação da RFI refere que a presença de um helicóptero a sobrevoar o céu de Kidal, após o sequestro poderia explicar que a informação sobre o assassínio de Ghislaine Dupont e Claude Verlon terá circulado rapidamente, antes da chegada dos blindados da força Serval.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.