Acesso ao principal conteúdo
África do Sul/Moçambique

África do Sul: Ataques xenófobos contra moçambicanos

Joanesburgo foi o centro de ataques xenófobos. Violência contra estrangeiros.
Joanesburgo foi o centro de ataques xenófobos. Violência contra estrangeiros. REUTERS/Siphiwe Sibeko

Em conferência de imprensa em Maputo, o Conselho cristão de Moçambique condenou os ataques xenófobos que continuam a verificar-se na África do Sul contra cidadãos estrangeiros e manifesta preocupação com o silêncio das autoridades moçambicanas.

Publicidade

A situação dos ataques xenófobos na África do Sul que já duram a mais de uma semana estão a afectar cidadãos moçambicanos revelou a Directora Geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades - INGC -, Augusta Maita, que também anunciou a identificação de um espaço no distrito da Moamba, na província de Maputo onde será instalado um centro de abrigo para os cidadãos que fogem dos ataques xenófobos no país vizinho.

Face à situação dos ataques xenófobos que já duram a uma semana em várias cidades sul-africanas o conselho cristão de Moçambique quebrou o silêncio.

Em conferência de imprensa, o reverendo Dinis Matsolo e outros membros do Conselho cristão desencorajam actos de retaliação à onda de ataques xenófobos na África do Sul.

De referir que os ataques a estrangeiros na África do Sul deixaram 544 moçambicanos sem casas em menos de uma semana. Grande parte deste número, cerca de 397, já manifestou o desejo de regressar ao país, revelou o conselho técnico de gestão de calamidades que se reuniu de emergência.

Mais pormenores com o nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.