Acesso ao principal conteúdo
Camarões

Paul Biya anuncia diálogo nacional

Paul Biya anuncia diálogo nacional para mediar crise nos Camarões
Paul Biya anuncia diálogo nacional para mediar crise nos Camarões MARCO LONGARI / AFP

O Presidente dos Camarões anunciou a realização de diálogo nacional, no final do mês de Setembro, para acabar com a crise que opõe os grupos armados separatistas da minoria anglófona às forças de segurança.

Publicidade

Paul Biya afirma que o diálogo nacional "vai encontrar as respostas às aspirações profundas das populações do noroeste e do sudoeste, bem como às dos restantes elementos do país".

No discurso transmitido pela rádio e televisão nacionais, o chefe de Estado camaronês assegurou que no debate serão analisadas questões de “união e integração nacional”, o bilinguismo, e a descentralização do poder. Temáticas que dizem, nomeadamente, respeito à população anglófona.

Paul Biya reiterou ainda a sua oferta de "perdão" aos separatistas que "baixem, voluntariamente, as armas", porém, alertou que aqueles que se recusarem a cessar os confrontos vão sofrer "todo o rigor da lei".

Recorde-se que o líder dos separatistas anglófonos, Julius Ayuk Tabe, e outros nove apoiantes foram condenados à prisão perpétua no passado dia 20 de Agosto. Na altura vários observadores vieram dizer que esta decisão não ia ajudar no diálogo, uma vez que os separatistas reclamam a libertação dos prisoneiros.

O anúncio da realização do diálogo nacional já foi saudado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, que o encorajou Governo dos Camarões a garantir que o processo é inclusivo.

De acordo com organização Human Rights Watch os conflitos entre os grupos separatistas e as autoridades já provocaram mais de 2.000 mortos desde 2017 e forçaram mais de 530 mil pessoas a deixar as suas casas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.