Acesso ao principal conteúdo
Angola

Angola lança concurso internacional para alargar mercado de telefones

Angola lança concurso internacional para alargar mercado dos telefones a um quarto título
Angola lança concurso internacional para alargar mercado dos telefones a um quarto título DR/Telecomangola

Foi lançado ontem um concurso internacional abrangendo vários sectores das telecomunicações, como telefones móvel e fixo ou televisão e Internet, pelas autoridades angolanas. Um concurso que passa por países vizinhos de Angola, mas também Dubai, já em outubro, e mais tarde Franckforte, Paris ou Londres. 

Publicidade

Angola lançou ontem um concurso internacional para alargar o seu mercado das telecomunicações a empresas de países vizinhos, mas também de Dubai, Franckfurte, Paris ou Londres, de forma a propor um melhor serviço aos utentes.

A operação é coordenada por um grupo de trabalho, constituído pelos ministros das finanças, das telecomunicações e tecnologias de informação e da economia e planeamento, segundo um comunicado divulgado à imprensa.

O concurso tem duas fases, a de apresentação de candidaturas, a decorrer até 8 de novembro e a de submissão das propostas pelos candidatos qualificados, que se seguirá após a conclusão da primeira. 

Telemóvel, televisão pôr subscrição e Internet

A licença que se pretende outorgar no quadro deste concurso, inclui a telefonia fixa e a telefonia móvel, mas também os serviços de televisão por assinatura e Internet.

Sectores que se enquadraria nesta procura de um quarto operador no mercado de telemóveis, por exemplo, em Angola.

Em entrevista à RFI, o economista, Paulo Ringote, membro do grupo técnico do comité interministerial para o concurso, explica esta nova estratégia, dos serviços das telecomunicações de Angola. 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.