Acesso ao principal conteúdo
Semana em África

Quatro candidatos às eleições presidenciais moçambicanas

Áudio 09:23
Vista geral de Nampula, Moçambique
Vista geral de Nampula, Moçambique GIANLUIGI GUERCIA / AFP

A Procuradoria-Geral da República de Moçambique ameaçou sancionar e penalizar todos os partidos políticos que receberam dinheiro do estado para participar no processo eleitoral para as eleições de 15 de Outubro, mas que não tenham sido usados para a campanha que chega ao fim este sábado, 12 de Outubro.Moçambique vai a votos na terça-feira, 12 de Outubro, e a concorrer à presidência do país estão quatro candidatos. Mário Albino, o candidato da Acção de Movimento Unido para Salvação Integral, denuncia o "desequilíbrio político" do país. Já Daviz Simango, candidato do MDM, denuncia um “comando vertical” envolvido na violência que assola o país.Na Frelimo, partido no poder, Caifadine Manasse recusa a ideia de que a campanha eleitoral ficou marcada pela violência, e ressalva que a "falta de paz" foi um entrave ao desenvolvimento nos últimos cinco anos. O secretário-geral da Renamo, da maior força da oposição no país, André Majibire, garante que Ossufo Momade é carismático e que a Renamo está unida.O prémio Nobel da Paz foi atribuído ao primeiro ministro da Etiópia. O comité norueguês reconheceu o papel de Abiy Ahmed no processo de paz com a vizinha Eritreia.No desporto, a pré-eliminatória de acesso à fase de grupos de apuramento para o CAN 2021 começou na quarta-feira com a vitória de são-tomense por 1-3 na deslocação às Ilhas Maurícias.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.