Acesso ao principal conteúdo
Camarões

Governo camaronês desagradado com declarações de Emmanuel Macron

O Presidente camaronês Paul Biya (esquerda) e o Presidente francês Emmanuel Macron (direita), juntos em Lyon, a 10 de outubro de 2019.
O Presidente camaronês Paul Biya (esquerda) e o Presidente francês Emmanuel Macron (direita), juntos em Lyon, a 10 de outubro de 2019. Laurent Cipriani / POOL / AFP

Nos Camarões 400 a 600 jovens protestaram nesta segunda-feira junto à Embaixada francesa em Yaoundé, capital do país, e isto após as declarações do presidente francês Emmanuel Macron que prometeu pressionar o presidente Paul Biya no que toca às violações dos direitos humanos.

Publicidade

As declarações polémicas de Emmanuel Macron, este sábado em Paris no Salão da Agricultura, não foram bem recebidas pelo Governo camaronês que afirmou querer continuar a ser dono do seu futuro.

A reacção dos Camaroneses não se fez esperar. O Governo, além de querer controlar o seu futuro, afirmou que não houve 23 pessoas mortas no norte do país, incluindo 15 crianças. Segundo as autoridades do país, morreram 5 cidadãos, uma mulher e quatro crianças, num incêndio provocado pelos disparos entre as forças governamentais e rebeldes a 14 de fevereiro.

O Alto Comissariado dos direitos humanos da ONU assegura que o balanço é mais pesado e foi nesse âmbito que o Presidente Emmanuel Macron afirmou que a violação dos direitos humanos nos Camarões “era inadmissível”, e que iria ligar para o Presidente camaronês Paul Biya para colocá-lo sob “pressão” para que a situação fosse resolvida nas províncias anglófonas.

Declarações que provocaram manifestações junto à Embaixada francesa em Yaoundé e onde os manifestantes gritavam que “os Camarões é um Estado soberano e independente desde 1960”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.