Acesso ao principal conteúdo
Cuba/Oposição

Dissidente cubana de 67 anos inicia greve de fome

A dissidente cubana Marta Beatriz Roque.
A dissidente cubana Marta Beatriz Roque. ©Reuters.

Marta Beatriz Roque, a única mulher a integrar o "Grupo dos 75" dissidentes detidos em 2003, entrou em greve de fome na segunda-feira, juntamente com outros 12 militantes. Eles denunciam a campanha de assédio do governo contra a oposição.

Publicidade

Marta Beatriz Roque, de 67 anos, prometeu beber apenas água e recusar qualquer assistência médica. Ela é diabética e os médicos preveem um agravamento rápido de seu estado de saúde. Durante entrevista à imprensa internacional em Havana, a dissidente disse que a greve de fome visa denunciar o aumento insuportável da repressão contra a oposição.

Desde a chegada de Raul Castro ao poder, em 2006, poucas condenações por motivos políticos foram feitas. Para intimidar a oposição, o regime detém centenas de militantes por mês e os libera após alguns dias sem nenhuma acusação. Somente em agosto, 581 pessoas foram detidas arbitrariamente, afirma a líder dissidente.

Marta Beatriz Roque integra o "Grupo dos 75" dissidentes detidos numa operação da polícia política cubana em 2003 que provocou uma onda de indignação internacional. Ela foi condenada a 20 anos de prisão por "violações contra a independência e a integridade territorial" e foi liberada em 2004 por motivos de saúde.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.