Acesso ao principal conteúdo
Canadá

Esquartejador canadense acusado de matar o namorado será julgado a partir desta segunda-feira

Luka Rocco Magnotta (centro), algemado, durante o desembarque no Canadá, 18 de junho de 2012.
Luka Rocco Magnotta (centro), algemado, durante o desembarque no Canadá, 18 de junho de 2012. REUTERS

Começa hoje, em Montreal, o julgamento de Luka Rocco Magnotta(30 anos). O ex-ator pornô é acusado de ter assassinado, em maio do ano passado, seu namorado chinês e cortado o corpo dele em pedaços.

Publicidade

Durante as audiências preliminares, o juiz encarregado do caso deve avaliar as provas para decidir se continua o julgamento ou não. O assassinato do estudante chinês Lin Jun com um picador de gelo foi filmado no apartamento do acusado e divulgado na Internet. Em seguida, Magnotta fugiu para a Europa, onde foi preso no dia 4 de junho, depois de passar pela França e pela Alemanha.

Durante o tempo em que o canadense esteve foragido, partes do corpo da vítima foram entregues pelo correio em vários pontos do Canadá, incluindo a sede do partido conservador, atualmente no poder. O tronco do chinês foi descoberto em uma mala dentro de uma lixeira em Montreal, perto da casa do esquartejador. A cabeça foi encontrada somente no mês de julho, em um parque. Apesar de toda a publicidade que ele mesmo criou em torno do crime, o ex-ator pornô, obcecado pela sua imagem, se declarou inocente diante da justiça canadense. Se for considerado culpado, Magnotta pode ser condenado à prisão perpétua.

Juristas e psicólogos da província canadense do Quebec acreditam que Magnotta nega a sua responsabilidade no crime para que o processo se arraste na justiça e atraia a atenção do público e dos meios de comunicação. Caso reconheça que é culpado, o processo será acelerado e Magnotta deverá desaparecer das capas dos jornais, para ficar algumas décadas em uma prisão. Outros observadores do proceso dizem que a negação dos fatos seria apenas uma estratégia dos advogados do canadense, diante da missão impossível de inocentá-lo. A defesa estaria decidida a complicar a tarefa da acusação, a começar pelo não-reconhecimento da culpa de Luka Rocco Magnotta.

As primeiras audiências do caso Magnotta devem durar até o dia 23 de março. Mas, por causa do grande número de testemunhas apresentadas pela acusação, as audiências preliminares podem ser retomadas no mês de junho.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.