Acesso ao principal conteúdo
Estados Unidos

Partido Republicano revê estratégia política para conquistar voto latino, negro e asiático

O presidente do diretório nacional do Partido Republicano, Reince Priebus, fala sobre a necessária mudança de estratégia política.
O presidente do diretório nacional do Partido Republicano, Reince Priebus, fala sobre a necessária mudança de estratégia política. REUTERS/Chris Usher/CBS News

O Partido Republicano anunciou nesta segunda-feira uma revisão de sua estratégia política após a derrota do candidato Mitt Romney na eleição presidencial de novembro passado. Uma das primeiras medidas propostas para reconquistar a simpatia do eleitorado hispânico, negro e asiático é uma reforma migratória integral.

Publicidade

"Temos de fazer campanha entre os hispânicos, os negros, os asiáticos e os homossexuais para demonstrar que também nos interessamos por eles", afirma o relatório republicano, no qual a palavra "hispânico" aparece 99 vezes em 100 páginas.

Elaborado ao longo de três meses, depois de ouvir mais de 50 mil pessoas, o documento da cúpula republicana anuncia a criação do posto de diretor político para todas as minorias do país a partir de 1º de maio, a criação de departamentos de comunicação específicos e contatos regulares com as principais organizações hispânicas, como a Liga de Cidadãos Latinos (Lulac) ou La Raza.

"Entre os passos que os republicanos vão tomar ante a comunidade hispânica, devemos assumir e defender uma reforma migratória integral", explica o texto.

"O Partido Republicano não pode negligenciar e não descuidará de nenhum grupo demográfico, nenhuma comunidade, nenhuma região deste país", declarou o presidente do diretório nacional do partido, Rence Priebus. Ele enfatizou que Barack Obama venceu as eleições com 80% dos votos das comunidades negra, hispânica e asiática, e esses grupos vão representar mais da metade da população americana até 2050. Os brancos serão minoria.

"Nosso partido é visto como um grupo fechado, desconectado da realidade, um partido de homens velhos e rígidos. A percepção de que somos o partido dos ricos, infelizmente, continua a crescer", lamentou Priebus. "Mais do que uma reformulação ideológica, precisamos sobretudo de uma nova campanha de marketing. Nossa ideias são boas, mas nossa comunicação é péssima", conclui o líder republicano.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.