Acesso ao principal conteúdo
Venezuela/Prisões

Ao menos 21 presos morrem na Venezuela por intoxicação medicamentosa

Captura vídeo da prisão de Uribana onde presos morreram por ingestão de medicamentos.
Captura vídeo da prisão de Uribana onde presos morreram por ingestão de medicamentos. Reprodução vídeo

Pelo menos 21 presos em greve de fome morreram na quarta-feira (26) na Venezuela devido a uma intoxicação provocada por ingestão de medicamentos. O governo confirmou a morte de 13 detentos e 145 casos de intoxicação na penitenciária de Uribana, no sudoeste do país.

Publicidade

Os detentos iniciaram uma greve de fome na terça-feira (25) em protesto contra o tratamento desumano nas celas e violações dos Direitos Humanos pelos carcereiros da prisão de Uribana, que fica no estado venezuelano de Lara.

O Observatório Venezuelano de Prisões (OVP), uma ONG que milita pela defesa dos prisioneiros, detalhou que após se rebelaram, os presos foram para a enfermaria onde ingeriram grandes quantidades de medicamentos.

Segundo a ONG, 17 presos morreram em Uribana e outros quatro na penitenciária de Tocoron, para onde tinham sido transferidos. O governo afirmou que as mortes ocorreram pela “ingestão descontrolada” de remédios contra a epilepsia, hipertensão e antibióticos, associada ao consumo de álcool.

Superpopulação carcerária

O Observatório indicou, em agosto deste ano, que a superpopulação carcerária atingiu 190% na Venezuela. O relatório semestral do OVP informa que o país tinha no final de junho 55.007 prisioneiros, enquanto que a capacidade teórica das penitenciárias venezuelanas é de 19.000 vagas.

A ONG denuncia a insalubridade e a violência nas prisões do país, onde 150 detentos morreram no primeiro semestre de 2014.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.