Acesso ao principal conteúdo
ANGOLA

Angola: fim do repatriamento de refugiados

500 Angolais, réfugiés en RDC après avoir fui la guerre civile, ont pris le train ce mardi 19 août pour retourner dans leur pays d'origine après plus de 10 ans passés en RDC.
500 Angolais, réfugiés en RDC après avoir fui la guerre civile, ont pris le train ce mardi 19 août pour retourner dans leur pays d'origine après plus de 10 ans passés en RDC. RFI/Léa-Lisa Westerhoff

Terminou oficialmente a 30 de Setembro o prazo para o repatriamento voluntário dos refugiados angolanos, que por vezes desde 1975 se encontravam nos países limítrofes como a República Democrática do Congo, Congo Brazzaville e Zâmbia.

Publicidade

O representante do ACNUR em Angola Hans Lunshof , afirma que o repatriamento que começou em 2012, terminou oficialmente ontem (30/09) com a chegada a Cabinda de 248 refugiados angolanos vindos de Pointe Noire, mas o processo será prolongado de alguns dias, devido a um grupo que se encontra ainda na RDC, na fronteira com a província de Moxico. 

O Alto Comissáriado das Nações Unidas para os Refugiados  vai no entanto continuar a prestar assistência às autoridades angolanas, no apoio técnico aos refugiados, mas também porque Angola também tem os seus  refugiados e requerentes de asilo.

Desde 2014 cerca de 19 mil refugiados regressaram a Angola, vindos na sua maioria da RDC, mas também do Congo Brazzaville e da Zâmbia, afirma Hans Lunshof que admite ser cedo para fazer um balanço.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.